sábado, 13 de dezembro de 2008

Contemporâneos

E ontem foi assim: Rir e rir, e rir um bocadinho mais, porque rir nunca é demais.
Leitora assídua que sou do Corpo Dormente, já estava carequinha de saber que ontem seria o lançamento do dvd d'Os "Contemporâneos", na Fnac do Colombo. E então ála que se faz tarde, sozinha da silva, senta-se numa cadeirinha e espera...e espera mais um bocadinho que já está quase...e espera que agora é que é. E pronto, lá foi.
Adorei.
Do elenco de actores esteve o Bruno Nogueira, Nuno Lopes e Dinarte Branco. E depois estava o Nuno Markl...(piada partilhada pelos presentes.) Nuno pá, não leves a peito, que eu gosto muito de te ver trabalhar, aliás, um grande bem-haja pela imitação ao vivo e a cores da Orca. Agora sim, toda a minha vida faz sentido.
Também esteve o Nuno Artur Silva, das Produções Fictícias, e o Luís Franco Bastos, o miúdo que faz imitações perfeitas de tudo quanto é personagem. De resto também já entrou num dos sketchs da série, imitando os próprios actores, coisa que voltou a fazer, de improviso, e que deliciou todos os presentes.
Tivemos o privilégio de ver o episódio que passou ontem mesmo, em primeiríssima mão, e na presença dos actores, o que me deixou maravilhada. Não os imaginava sisudos ou demasiado sérios, com ar de frete ou de quem está a ver o Aniki Bóbó. Mas não esperava ver neles, elenco, actores que interpretam os textos, que já sabem o que vai acontecer, que provavelmente repetiram as cenas várias vezes, que fazem aquilo todas as semanas, exactamente as mesmas reacções que Eu, espectadora, ia tendo. Riam a bom rir das suas próprias interpretações, como se da primeira vez se tratasse, esboçavam expressões de espanto e admiração pelas respostas do vox pop que o Bruno faz, passavam as mãos pela cara como que em vergonha pelas personagens que interpretam, enfim...vibram enquanto fãs, tal como eu e todos os outros que encheram a Fnac que se tornou pequena para os muitos seguidores da série.
E eu que já gostava, percebi que agora sou mesmo uma grande fã deste formato de humor que a cada semana surpreende pelo elevar da fasquia, por ser notório que eles arriscam e vão experimentando até onde podem e os deixam ir, pelos pormenores deliciosos, pelas frases, silêncios e expressões surreais que eles inventam e que eu, para desgosto dos que me rodeiam, faço o favor de repetir constantemente, por tudo e por nada, e porque me rio sozinha como se não houvesse amanhã! Sou Fã e pronto.

Nota de rodapé: Ainda estou para perceber como é que uma alma que lá estava na primeira fila, que se supõe que não tenha para lá ido ao acaso e até siga a série, se levante para fazer a bela pergunta: "Porque é que escolheram um morango para pôr no genérico do programa? Era para gozar com os morangos com açúcar?"

Resposta sonora e incrédula do público em geral: É UM TOMATE, PÁ!

3 comentários:

Fifs disse...

Tavas ligada a "querrente" Maurisse? Esqueceste-te da parte mais importante... Tas pixo!

Pips disse...

E fiquê même ligáda à querrente! E quê?? Tou pixo? Pois tou! Mas isso é tãaaaaaaoo Paniiiiiiissssgas!!!! Uiiiii!

Lança disse...

Nunca vi! (é o que faz ver pouca televisão...)

Mas já li!

Vou "arranjar"! :)