segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Pró Natal de presente eu quero que seja

Bem sei Bébés que já vou a modos que atrasada mas tenho um pedido mesmo, mesmo fácil de satisfazer (que a Pips também subscreve):

Quero um amigo gay =). Queremos vá!

E vocês tudo bem.
Ou não. E perguntam os bébés: Mas pra quê que duas miudas maravilhosas agora querem um amigo gay? Que maçada!
E vamos nós:

A-Porque nos compreendem melhor que ninguém.
B- Porque estão sempre super mega bem informados de tudo.
C-Porque são uns bem dispostos. Porque nos dizem que estamos lindas.
D-Porque podemos vestir o pijama ao pé deles sem nos termos de ir esconder. Porque não têm vergonhas.
E- Porque vão às compras connosco. Sabem as músicas todas de cor e cantam em plenos pulmões.
F-Porque guincham. E tiram-nos da cama com o tpm.
G-Porque sabem dançar tudo.
H-Porque nos dão imensas dicas.
I-Porque cozinham.
J-Porque não se importam de ver sessões de três dias de "Sex & City" e "Anatomia de Grey" e "Will and Grace."
K-Porque reparam quando temos brincos novos, perfume diferente.
L- Porque sim já que me portei bem!

Modelos pretendidos:

Jack do Will and Grace
Will do Will and Grace
O piqueno dos Irmãos e Irmãs e respectivo namorado

Aceitam-se candidaturas.

Bem haja!

Dúvidas pertinentes

Pessoas que fazem zapping tal como eu e pararam eventualmente na sic mulher on a random monday, dia 29 de Dezembro às 23.38?

Mas o que é que aconteceu à Tyra Banks...?


Estou bem...aonde não estou!!!

Cheguei e recebi um xi-coração daqueles apertados e caninis, cheio de sôdades e conversa para pôr em dia.
A casa cheirava bem, a bolos, a comida, a roupa lavada, à minha casa.
Vesti o meu pijama "não condizente" pois que já faz parte de mim e de quem sou.
Bebi chá "Noite Tranquila" e comi bolo de chocolate delicioso, e que não foi feito por mim (e que bom que é usufruir de coisas que não nos deram trabalho a fazer!!).
Sentei-me no sofá e conversamos, muito, sobre mudanças e vontades e não-vontades e blábláblá belele badjoras.
Não tive que me levantar para fazer nada para ninguém, nem me preocupar com o que faltava fazer, ou programar os "afazeres" para o dia de amanhã.
Deitei-me na minha caminha, com os meus lençois, no quarto quente e com o meu cheiro, com tv com Fox Life e com o "coraçãozinho" ao meu lado.
E pensei: "Tão bom estar em casa!"
E imediatamente a seguir: "Se ainda estivesse lá, agora estava na ramboia com os meus irmãos, enfiados os 3 no mesmo quarto, a fazer coreografias, inventar letras de músicas, fazer beat box, ou simplesmente a fazer judiarias em geral!.... Tenho saudades."

E cá está....mil coisas que me preenchem, mas há sempre alguma que me falta...

domingo, 28 de dezembro de 2008

Olhá sugestão!!!

Comprei um puff e passo a citar M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O amarelinho e tamanho L para as minhas sessões infindáveis de leitura e Anatomia de Grey,baratíssimo.
Como adorei a loja e o senhor que me atendeu, daquelas pessoas que têm amor ao que fazem e ao que construiram... Deixo-vos o nome da loja : No stressy que fica ali em Telheiras. É pufaria a dar com um pau! E vocês tudo bem.
Vale a pena dar um pulinho!

C(S)em anos de solidão

Livro que me foi oferecido hoje, out of the blue, por uma das pessoas que mais gostei e por quem mais bloqueios inultrapassáveis (pelo menos para já) me deixou.
Lido com eles o melhor que posso. Comporto-me como uma verdadeira Caranguejo. Ou mesmo como um gato escaldado que de água fria tem medo. Ergo uma fortaleza. Não me toquem, não toquem lá. Não me enervem! Depois obrigam-me a descarregar na miúda que lambe a faca e no homem que deita coisas para o chão. Sou tão resolvida e independente mas ao mesmo tempo só queria colo e ser princesinha.
Queria por sentimentos mal resolvidos e memórias más que sentimentos mal resolvidos geram, para trás das costas. E mais um ano passa e bloqueios e mais bloqueios que surgem. Como peúgas no Natal! Somos frutos das experiências. "O que não te verga só te torna mais forte", dizem. Mas também te pode tornar mais azeda e mais alerta (que é como quem diz menos espontânea).
Vou ter de aceitar.
Tirar partido;
E viver com isso.
O melhor que posso.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

MAS PORQUUUÊ MÒ DEUUUSSS?

Alguém por favor me explica, o porquê, de estender roupa a pingar?? Não há centrifugação, não? Filme preferido é a aldeia da roupa branca? Tem tanque em vez de máquina ou só curte mesmo que a minha rica cabeça levo uns pingos em cima? O suficiente para me enfurecer, confesso. A única coisa que me impediu de lá ir acima foi mesmo o novo estado de espírito que pretendo cultivar.

Mary Cris

Eu gosto do Natal. (shoot me) Sempre gostei, a agitação das pessoas, o cheiro, as luzes, a comida, a família toda reunida à mesa.
Este ano talvez por ter sido longe de casa, senti pela primeira vez como mais um dia, sem bacalhau, sem rabanadas, sem a minha tia em devaneios, o meu tio a marchar e a minha avó à cabeceira da mesa, sem as piadas do meu pai, o bolo-rei e os frutos secos.
Faltou-me isso tudo, mas não me faltou a minha mãe, que se portou como uma verdadeira tripulante com despertar às 3.30 da manhã. Que me fez sentir que apesar de sozinha não estou só.
E no Natal é tudo isso que queremos sentir. Amor.
Todo o ano.
Porque o Natal é quando um Homem quer.
Beijinhos e Abraços
D*

domingo, 21 de dezembro de 2008

(In)substituível

Escrevo já desde a santa terrinha, para onde me desloquei para eventos natalícios e afins.
Vou dormir no quarto da minha irmã, porque ela tem cá uma amiga a passar o fim de semana e a cama dela é pequena para as duas. Logo, foram dormir para o quarto do meu pai, que se levanta cedo mesmo em fim de semana para trabalhar naquele que outrora fora o meu quarto e agora é o seu estúdio, mas que, ainda assim, é onde eu durmo quando cá venho.
Estou a beber chá de camomila, porque cá não há "Noite tranquila".
A água demorou 3 minutos a ferver, em cafeteira normal, ao fogão, porque aqui não há chaleira maravilhosa eléctrica, como eu tenho em minha casa onde demoro 30 segundos até a dita cuja borbulhar.
A tv não tem Fox Life, porque aqui apanha através da Cabovisão, e além disso a minha irmã tem os canais todos sintonizados em números diferentes do suposto e sem qualquer tipo de ordem lógica.
Está frio, muito frio, e ando pela casa aos Ais e Uis e que está mesmo tanto frio, sempre com um aquecedor atrás, tipo "pacemaker" que se me dá uma coisa de cada vez que entro em cada divisão.
Os próximos dias vão ser difíceis e de muito trabalho, porque eu sou uma só e há muito para fazer.
Tenho mil e um motivos para agora, quando me deito, quando está escuro e já ninguém me vê, chorar baixinho só de pensar em como tudo era, como tudo foi, um dia, não assim há tanto tempo atrás, e como agora é.
Tenho ainda mais motivos para simplesmente me deixar levar pela nostalgia e pelo saudosismo que a data carrega, e encarar o espírito natalício como motivo mais que plausível para uma postura depressiva, de revolta ou rejeição, como ouço e vejo tanta gente por aí que diz à boca cheia: "Odeio o Natal!", sem razão aparente para isso, só porque sim.
Tenho muitos, mas muitos motivos, em cada canto, em cada divisão, em cada roupa, em cada fotografia espalhada pela casa, em cada espaço vazio, para me recusar a passar estes dias de sorriso nos lábios e feliz.
Mas sabem que mais? Estou, realmente, de sorriso nos lábios e estou feliz. E gosto muito do Natal.
Estou tranquila, estou consciente de tudo o que tenho para fazer, de que tenho a grande responsabilidade de que tudo corra bem e pelo melhor, mais do que cozer as batatas e o bacalhau, do que preparar a ceia, do que ter comprado prendas para mil e uma pessoas a pensar nas prendas que elas não iriam comprar umas às outras, de tentar com que a família esteja junta outra vez, de que tudo esteja arrumado e acolhedor, de que todos se sintam bem, e sobretudo de diminuir e acalmar a falta que nos faz quem não pode ser substituído.
O quarto pode, a cama pode, o chá e a chaleira, a tv e os aquecedores.... mas o resto não.
E amanhã vou acordar com um sorriso nos lábios, e de bem com a vida, com força e energia, porque sei que é assim que deve ser. É assim que Ela quereria que fosse. É assim que Ela tem orgulho em mim. Esteja onde estiver.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Coisas que eu NÃO preciso saber:

Que o José Castelo Branco apalpava constantemente os seus empregados do sexo masculino;
Que mandava a cozinheira ter relações com os outros empregados para depois lhe contar como eram os seus orgãos genitais;
Que reza enquanto está sentado na sanita;
Que bate na lady Betty;
Que naquela casa se come essencialmente latas de sardinha;

E mais, de facto, não sei porque entretanto felizmente encontrei o comando e consegui mudar de canal.

Eu vou-me a ele!!!

Pensem na coisa que mais vos enerva no mundo.
Naquela que vos tira do sério seja qual for o lugar ou a pessoa que o pratica.
Naquela para a qual a vossa tolerância é muiiiiiito mas muiiiiiiiito abaixo do zero.
Que vos faz perder a capacidade de racionalizar comás pessoas e simplesmente vos dá vontade de bater, morder, praticar O Mal em geral.
Já está? Já estão com os pelinhos dos braços e afins todos eriçados só de fazer este exercício??
Conseguiram escolher mesmo aquela coisa com que simplesmente não conseguem lidar e que mexe com tudo quanto é entranha do vosso ser??

Pronto, então agora que já vos pus a visualizar, é mais ou menos assim que me estou a sentir neste momento e todas as noites das últimas 3 semanas sensivelmente, a partir da meia noite. Eu disse mais ou menos porque eu sei que estou bem pior do que o pior dos vossos cenários.
Tenho um vizinho de cima que, de há 3 semanas para cá, vai-se lá saber porquê, resolveu simplesmente RESSONAR QUE NEM UM PORCO EM VÉSPERA DE MATANÇA!
E aqui está o pequeno pormenor que é capaz de transformar esta alminha angelical que vos escreve numa verdadeira serial killer. Palavra!
É que eu não aguento, mas não aguento mesmo ouvir ressonar. Muito ou pouco, alto ou baixinho, com roncos prolongados ou só daqueles que a pessoa parece que vai sufocar engolido pelo próprio ronco, um ligeiro assobio de narina, uma respiração mais profunda...não me interessa nada disso!
Eu até posso estar em pleno concerto dos Rammstein que se tiver com sono não vai ser isso que me impede de adormecer que nem uma Princesa! Agora...basta um leve ronquilhar, vindo das profundezas do oceano, do centro da terra, do 7º andar, nem que eu esteja completamente concentrada...eu ouço! Ouço e passo-me!!!
E o que às outras pessoas quase passa despercebido e só com muita concentração lá destinguem um leve zumbido...para mim é uma tortura, o pior som do mundo, que interfere totalmente com o meu cérebro e com o meu sistema nervoso. Fico com a pulsação acelerada, cheia de nervos, ansiosa, só me apetece bater na pessoa em questão!
E cá estou eu, quase 5h da matina, sem pregar olho, phones nas orelhas e volume no máximo! A pensar seriamente descer as escadas, ir à rua, tocar à campainha do andar de cima e vir a correr para casa e para minha cama, fechar os olhos e fazer muita força para adormecer nos 5 minutos que ele deve demorar até voltar a ronquilhar como se não houvesse amanhã!!!!
Estão a ver o nível de desespero?? Estão?
É grave...areditem que é mesmo grave!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Repeat

Tenho também de bolsar que estou perdidamente viciada nos Contemporâneos, que um dos meus desejos de Natal era que fôssemos todos amigos, a minha vida seria muito mais PANIIIIIISGAS!)
Confesso igualmente que estou oficialmente com um little crush pelo Nuno Lopes... As coisas que se pegam com (Ensaio sobre) Sinusite.
Bruno, Nuno, Manuel, Eduardo, Markl, Carla se chegarem até aqui é oficial : Queremos ser vossas amigas!
RABIÇAS!

P.S.- Realmente, até o facto de ser "Lopes" poderia ser impeditivo, mas se ele prometer que faz de "Chato" nos nossos desaguisados, eu adopto o nome! JURO!

sábado, 13 de dezembro de 2008

Contemporâneos

E ontem foi assim: Rir e rir, e rir um bocadinho mais, porque rir nunca é demais.
Leitora assídua que sou do Corpo Dormente, já estava carequinha de saber que ontem seria o lançamento do dvd d'Os "Contemporâneos", na Fnac do Colombo. E então ála que se faz tarde, sozinha da silva, senta-se numa cadeirinha e espera...e espera mais um bocadinho que já está quase...e espera que agora é que é. E pronto, lá foi.
Adorei.
Do elenco de actores esteve o Bruno Nogueira, Nuno Lopes e Dinarte Branco. E depois estava o Nuno Markl...(piada partilhada pelos presentes.) Nuno pá, não leves a peito, que eu gosto muito de te ver trabalhar, aliás, um grande bem-haja pela imitação ao vivo e a cores da Orca. Agora sim, toda a minha vida faz sentido.
Também esteve o Nuno Artur Silva, das Produções Fictícias, e o Luís Franco Bastos, o miúdo que faz imitações perfeitas de tudo quanto é personagem. De resto também já entrou num dos sketchs da série, imitando os próprios actores, coisa que voltou a fazer, de improviso, e que deliciou todos os presentes.
Tivemos o privilégio de ver o episódio que passou ontem mesmo, em primeiríssima mão, e na presença dos actores, o que me deixou maravilhada. Não os imaginava sisudos ou demasiado sérios, com ar de frete ou de quem está a ver o Aniki Bóbó. Mas não esperava ver neles, elenco, actores que interpretam os textos, que já sabem o que vai acontecer, que provavelmente repetiram as cenas várias vezes, que fazem aquilo todas as semanas, exactamente as mesmas reacções que Eu, espectadora, ia tendo. Riam a bom rir das suas próprias interpretações, como se da primeira vez se tratasse, esboçavam expressões de espanto e admiração pelas respostas do vox pop que o Bruno faz, passavam as mãos pela cara como que em vergonha pelas personagens que interpretam, enfim...vibram enquanto fãs, tal como eu e todos os outros que encheram a Fnac que se tornou pequena para os muitos seguidores da série.
E eu que já gostava, percebi que agora sou mesmo uma grande fã deste formato de humor que a cada semana surpreende pelo elevar da fasquia, por ser notório que eles arriscam e vão experimentando até onde podem e os deixam ir, pelos pormenores deliciosos, pelas frases, silêncios e expressões surreais que eles inventam e que eu, para desgosto dos que me rodeiam, faço o favor de repetir constantemente, por tudo e por nada, e porque me rio sozinha como se não houvesse amanhã! Sou Fã e pronto.

Nota de rodapé: Ainda estou para perceber como é que uma alma que lá estava na primeira fila, que se supõe que não tenha para lá ido ao acaso e até siga a série, se levante para fazer a bela pergunta: "Porque é que escolheram um morango para pôr no genérico do programa? Era para gozar com os morangos com açúcar?"

Resposta sonora e incrédula do público em geral: É UM TOMATE, PÁ!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Censurada

Há coisas que me apetece escrever aqui e não posso.
Não é não posso, é mais não quero. Não me apetece. Não me apetece que depois quem me conhece de carne e osso, em matéria e facto, fique a congeminar trinta por uma linha sobre quem ou o quê era o post X. É que se até nos mais básicos, explícitos e concretos a pergunta acaba por surgir...imagino naqueles em que simplesmente apanham do ar e depois é um Deus nos acuda de imaginações férteis com mil interpretações, cada uma mais surreal que a anterior.
E isso preocupa-me.
Porque gosto que me leiam. Gosto que se identifiquem ou não com o que escrevo. Gosto que se preocupem comigo e por isso se questionem sobre a minha sanidade mental e emocional. Não me importo que se dêm ao trabalho de vir ver como me corre a vida, e se aqui vou cometendo uma ou outra inconfidência que no dia a dia, no mês a mês, no plano não escrito, vá, dificilmente revelaria. Mas chateiam-me as interpretações dúbias. Ou melhor...as más interpretações. Chateiam-me as conclusões precepitadas. As mensagens nas entre-linhas que quem pensa que me conhece tem o gosto viperino de deturpar. Porque é mais engraçado, porque é mais picante, porque sempre é tema de conversa quando estiverem no café, naqueles momentos de silêncio onde não ocorre nada de absolutamente interessante para falar.
Por exemplo, agora mesmo apetecia-me escrever sobre algo muito mais interessante do que isto. E que de certeza seria do agrado de um público muito mais alargado, especialmente o que não me conhece, pois que se está bem a borrifar para mim, para a minha condição social, económico-financeira, partido político, estado civil, ou níveis de colestrol! Mas não...é melhor não. Que a liberdade de expressão é coisa muito bonita mas depois vai-se a ver e ó i ó ai que ela escreveu sore este e aquele, e anda a fazer isto e aquilo!! E não estou praí virada.
E não alminhas...não estou deprimida, nem infeliz, nem com vontade de cortar os pulsos nem de me atirar para a linha Roma-Areeiro...estou, apenas, VIVA!!!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Baby Jisas, não leias este!



Se forem como eu, não vão clicar no video porque simplesmente não têm pachorra. Ainda para mais que a magia acontece em Italiano, porque não consegui encontrar a versão já dobrada para o nosso português, tal qual como a vi ontem, no cinema.
Mas como eu quero muito que se apercebam da pérola que aqui está (e como também assim como assim agora não tenho nada de mais interessante para fazer), passo a transcrever o diálogo deste belo anúncio (banido na Itália) da Red Bull.

Rei Mago: Ah e tal José e Maria, tá tudo? Somos os 4 Reis Magos e viemos visitar o Menino.
Maria: Como 4?? No Novo Testamento diz que são só 3!
Rei Mago: Mas nós somos 4 e trazemos ouro, incenso, mirra e Red Bull!
Maria: Red Bull? Um Touro? Mas nós já temos Um! (olhando para José com desdém).
Rei Mago: Ó Maria tem lá calma que não é isso! Red Bull é uma bebida energética que blábláblá whiskas saquetas de postas de bacalhau cozido com grão,mais o diabo a quatro.

Onde está a pérola? Pergunta o desatento leitor, envolto em espírito natalício, que não lhe permite alcançar o requinte de malvadez do anúncio.
Bom...a pérola está na parte em que se consta que o Menino foi concebido sem pecado, pela obra e graça do divino Espírito Santo, sem nunca terem perguntado nada à Maria.
Vai-se a ver e o Menino tem a cara do Padeiro!
Pronto, já disse!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Moments that make your heart stop

Ora que até nem sou muito destas coisas mas ultimamente ando numa de romantismo cinematográfico, daí vai de criar uma rúbrica aqui no meu bigs de filmes ou momentos de filmes que vos tenham feito parar de respirar. A música também se agradece e prometo-vos que sempre que me lembrar de uma venho a correr partilhá-la, mesmo que não vos interesse nada! =)
E hoje ficamos com o Pretty Woman, e o Fallen da Lauren Wood... Remember Vivian and Edward? Todo o filme faz parte do meu imaginário infantil das histórias de amor e lembro-me que de todas as vezes que a vi era aquele momento em que ela va de limusine (que é qd começa a música) a caminho do avião, que os vai levar à ópera, com aquele vestido maravilhoso vermelho e luvas brancas de gala... E começa "I can't believe you're a dream coming true"
Devo tar na ovulação, não me ligar por favor.

sábado, 6 de dezembro de 2008

It's not that easy

To let go...
Não sentir saudades.
Preferir o que faz mal ao que faz bem.
Ser Feliz.
Viver sem;
Mais um dia...
Não é fácil, mas é possível e tu também vais conseguir, um dia, ao teu ritmo =)

Love D*

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Francisquinhos cheios de graça!!

De há uns tempos para cá, e também devido às sessões intermináveis de psicanálise com a Fifs, onde analisamos detalhadamente as esquizofrenias uma da outra, tenho-me apercebido de certas características minhas que antes simplesmente nem sabia que existiam.
Uma delas é a capacidade que tenho de me abstrair de tudo aquilo que não me interessa, e por isso me passa ao lado. Outra, o grande incómodo que me causa assistir a cenas ou situações onde vejo o total oposto, ou seja, pessoas que simplesmente rodam a baiana a bom rodar, esteja quem estiver, porque sim e porque não.
Não me acho "Panhonha". Nada mesmo. E até sou daquelas alminhas a fugir assim pr'ó nervosinho e com pouca paciência quando estou com a macaca do avesso. Mas normalmente, e porque assim fui educada (e bem, a meu ver!), tenho uma margem de tolerância bastante flexível, que me permite abstrair de coisas que, e mais uma vez a meu ver, são insignificantes e simplesmente não me dizem respeito!
Passo a citar: "Chicos-espertos" não me tiram do sério. Ignoro-os ou então rio-me na cara deles; Não me passo nem refilo se uma alminha me passar à frente numa fila. Uma alminha, atenção..não são 10!; Não respondo mal, nem de maneira seca ou sarcástica à empregada do "Vitaminas" que me serve com umas trombas maiores que as do Dumbo. Ela está ali para pôr os ingredientes no prato, não para ser a Miss Simpatia da zona da restauração! Por isso se usar luvinhas e touca e os ingredientes estiverem em condição...está óptimo!; Digo sempre Bom Dia ou Boa tarde ou Boa Noite quando me cruzo com os vizinhos, mesmo que eles não façam o mesmo; Se vir alguém deitar lixo para o chão ou cuspir, ou a fumar em sítios onde não é suposto, penso: "Porcos!" Mas não vou ter com a pessoa, nem a chamo à atenção para a sua falta de civismo ou de educação. Não sou Mãe delas nem me pagam para andar a educar adultos de 40 anos que toda a vida foram porcos e estão-se bem a borrifar para a minha indignação; Não me incomoda que pessoas que não me conheçam me tratem por Tu. Sejam mais velhos ou mais novos. Eu não o faço, mas não é coisa que me tire do sério;
E depois o reverso da medalha: fico muito, mas mesmo muito incomodada quando vejo alguém a subir o tom de voz, a falar com arrogância, com agressividade ou sarcasmo. Uma coisa é fazer uma reclamação ou chamar à atenção dentro dos padrões de diálogo normal. Isso também eu o faço, e ninguém à minha volta chega sequer a perceber que eu estou a "refilar". Outra coisa é simplesmente não conseguir ficar calado, e ter que opinar, reclamar, chamar à atenção por tudo e por nada e uns quantos décibeis acima da média.
Fico com vontade de me enfiar num buraco. Cenas de fila de supermercado (como hoje mais uma vez assisti e que deu azo a este post), filas de trânsito, chicos-espertos em geral e de pessoas que se acham ainda mais espertas do que os Chiquinhos e por isso lhes cabe a digna tarefa de fazer julgamento em praça pública, e daí monta-se um belo de um circo do qual eu não compactuo.
Isto porque, e os Alfacinhas que me perdoem, mas eu venho da Serra e com todos os defeitos e brutidão, e rudez, e falta de instrução (que não é o mesmo que educação), de que o interior ainda padece, eu assisto diariamente a cenas em Lisboa que nunca em toda a vida assisti no interior. E acho mesmo que o Alfacinha tem uma alma bairrista, com genes generalistas entre o taxista e o treinador de bancada, que adora mandar umas bocarras pr'o ar, e que tem a mania que sabe sempre mais do que o vizinho do lado.
E eu, serrana a viver em Lisboa há uns bons aninhos, continuo a pensar cá para os meus botões que nem toda a gente teve a mesma educação do que eu. Nem toda a gente tem as mesmas noções de civismo (ou sequer ideia do que isso é, quanto mais pô-lo em prática). E que, com as tristes figuras e comportamentos menos correctos e reprovadores dos outros, posso eu bem! Como tal, discordem de mim à vontade, chamem-me panhonha, sangue de barata, otária...passa-me tudo ao lado. E que bem que eu vivo com isso...

Só para terem noção...

Porque eu não sou invejosa nem egoísta, e porque adoro meter nojo (até a mim mesma!), aqui fica a foto mais polémica do meu 25º aniversário.
Diz o povinho que uma imagem vale mais do que mil palavras...diz mal. Primeiro porque quem sabe do assunto sabe bem, por A mais B, que a coisa não é bem assim, e se querem saber o que é o A e o que é o B...estudassem! E segundo porque nem mil imagens, nem mil palavras podem descrever o que uma singela garfada desta delícia provoca no comum do mortal.
Está uma última fatia orfã, na cozinha, à minha espera.
Por isso esperem só um bocadinho que eu vou ali consolar-me e já venho.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Parabéns a Mim.

Pois é pequenas criaturas blogueiras...25 já cá cantam. Podia escrever um post sério, introspectivo, a transbordar de sabedoria que só Deus sabe de onde vem, pequenos disparates ou grandes verdades, totais nonsense, verborreia no geral... Mas não me apetece.
Apetece-me só dizer que anteontem fiz 25 anos e que me soube bem.
Que o dia não foi perfeito, mas que os 25 já me ensinaram que no fundo, nada é perfeito.
Que tenho muita gente que se lembra de mim, muita mais do que aquela que eu pensava ou estava à espera. E gente até cuja data de aniversário eu desconheço, e alguns, mesmo conhecendo e lembrando, acabo por não dar os parabéns... (shame on me!).
Que sou uma insatisfeita nata, e acho sempre que isto ou aquilo podia ser melhor, que este ou aquele podiam ter feito mais, que eu própria podia ter feito uma escolha mais acertada. Mas também que os 25 me ensinaram a lidar com mais tranquilidade com essa insatisfação e aprender a aceitá-la apenas como mais uma característica minha e não como um defeito.
Que dou por mim a conseguir relativizar cada vez mais as coisas e dar somente a importância que cada acontecimento merece.
Que devo fazer tudo sempre e somente por mim e para mim. Nunca pelos outros ou para mostrar aos outros. Partilhar no fim é uma coisa. Forçar-me a mim própria a agir em função do que os outros vão pensar de mim é outra. E não é nada saudável.
Que tive o melhor bolo de aniversário do muuuuuundo: brigadeiro de chocolate. É de ir ao céu e voltar!!
E que, apesar de viver muitos momentos de solidão, tenho a sorte de estar rodeada (umas perto, outras mais longe, mas sempre dentro do coração), de pessoas de quem gosto muito e que são muito importantes para mim.

Não é fácil...mas vocês atenuam. Obrigada a todos.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Uma lembracinha

Eu, adepta da reciclagem desde a altura em que não havia ecopontos, que se deslocava ao centro de recolha de papel, para que este fosse reciclado. Eu que desligo a água quando lavo os dentes, que reutiliza os saquinhos de plástico, que desliga o "telvisor" do standby, que faz tudo pelo ambiente fiquei absolutamente abismada com a sugestão de presente de Natal (baratucho já que tamos em crise) de uma representante da Quercus:
-Uma lâmpada economizadora...



"." (como em Ponto Final, absolutamente sem comentários)

One to go!

A vida da gente, que é como quem diz a nossa vidinha, que tanto nos faz pensar, que tanto nos faz escrever, que tanto nos faz sentir e duvidar é marcada por fases. Boas, felizes, más, de raiva, de tristeza, de Natal, do Verão e da Macaca aos saltos.
Eu, apenas e só numa fase de Take away... Mais um erro de cálculo, oops afinal não é nada disto, ooops ai ui que saudades que tenho de me sentir quando estava na fase do "feliz e completa", ooops e pronto. Take-away porque por mim, neste lugar onde me encontro era fazer a encomenda e bora lá ver um dvd! Nada de ter de conhecer, dizer ai porque eu reajo assim, ai que sou tão sincera e whiskas saquetas de pescada com ervilhas, ai que agora é vestir (vestir o quê quando não se tem nada para vestir?- perguntam vocêss minhas ilustres leitorAs), não vestir collants por baixo das calças (como bem apontou minha querida Pips), apesar de estarem dois graus lá fora e PORRA porque custa e a única hipótese de verem os collants é passar-me um autocarro por cima e eu ficar presa pelo fecho éclair das jeans e terem de o abrir para me desencarcerarem. "Uma questão de confiança"- aponta ela
Porque arremelga daqui, "tas nervosa?"-pergunta - "Sim, um bocadinho, respondo."..
Linda e vai e conduz até ao local combinado e que boa companhia que é, e que as horas lá passam a voar mas vai-se a ver e não...! Amigos =)
Não porque, sei lá, não.
Não estou para aí virada.
Não é altura.
Chega a parte de entrarem aqui na minha bolha e lálálá. E daí o take-away, a maior invenção do século XX, infelizmente somente aplicável à comida... Apetece-me andar de collants pela casa, com as calças menos teaser que imaginar e sem ter de estar com o olho cheio de yves saint laurent. E o take away estar lá, sem se queixar, por ele uma pizza serve. Por mim, um dvd, mantinhas e chá...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

De mal a pior

Bem sei que já falei nisto antes. Mas macacos me mordam se consigo ficar indiferente!
Anda uma "gaja" (maior de idade e com mais de 40kg), à procura de modelitos giros e engraçados de pijamas, lingerie e o diabo a quatro, e leva com isto:

E eu só pergunto:

Com tanto pijama de camisola e calça da Hello Kitty, dos Estrumpfes, da Minnie, dos Ursinhos Carinhosos, do Snoopy, e da Rua Sésamo que se encontra nas lojas desta marca, porque é que vestiram (?) a criança assim??

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Blindness

Nunca em tempo algum pensei que fosse um filme tão intenso. Ainda por cima a julgar pelas críticas negativas que tenho lido (o que me remete para um próximo post sobre quem são afinal os críticos seja do que for).
Um filme que explora a condição humana no seu expoente de fragilidade. Como o humano sem uma coisa tão "simples" como a visão, acumula merda, sentimentos de ganância, vingança e volta a instintos tão básicos como o sexo, com quem jamais se imaginaria fazê-lo, só porque sim. Só por caridade. Só por primitividade. Porque somos bichos e não nos devemos esquecer.
Explora o espírito de sacríficio das mulheres, em detrimento dos homens e explora sobretudo o facto de a visão por vezes nos cegar. Levarmo-nos pela aparência em vez de nos levarmos pelo coração. Por pessoas que nos falam directly to the heart.
Muito bom! Aconselho vivamente! E quanto aos críticos... tenho aqui um mini caixotinho de lixo... F*ck f*ck f*ck youe!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Ode ao Pai Natal

Alguém que partilha da minha simpatia pelo "Baby Jisas", em detrimento da adoração pelo shôr Pai Natal, (e também partilha laços sanguíneos!) dirigiu-me as seguintes palavras:

"Qual Pai Natal qual quê..? Aquele gordo bêbado hipertenso e cheio de colestrol que bate na mulher o ano todo...?!
Antes o culto do Baby Jisas! Sou contra a adoração dos ídolos falsos e obesos que fazem as renas passar fome e mandam os elfos à noite e ao frio ir comprar gemada e whisky de avelã!
É demasiado óbvio...quer dizer, um velho que visita todas as criancinhas, durante a Noite, uma vez por ano? Pedofilia!
E o que é que ele faz o resto do ano, pergunto eu? Embebeda-se nas Ilhas Caimão, e apanha sol à pala de altas contas off-shore!

É que há coisas que eu não entendo! Não entendo! Por exemplo, porque é que o Rudolph tem o nariz vermelho? Uns dizem que é pozinho mágico dos elfos.. eu cá acho que foram experiências radioactivas do Shôr Pai Natal! E agora o desgraçado tem um tumor no cérebro!
E depois falam da Nike, da Adidas e de todas aquelas marcas que, supostamente, têm "sweatshops" na Ásia e na África cheias de criancinhas a trabalhar e a serem pagas miseravelmente.. Então e os elfos??!! Algum elfo sabe o que é um contrato? Um horário fixo de trabalho? Um seguro dentário? Existe um sindicato dos elfos sequer? Ou será que o shôr Pai Natal mantém as criaturinhas na ignorância para poder suster o seu sistema de produção esclavagista de fabrico de brinquedos?
E quem raio é o Pai Natal para decidir quem são as criancinhas boas e más? As que se portam bem ou não? Ele só trabalha aí um mês por ano, não paga impostos e mantém milhares de elfos escravos que a única maneira que têm de se manifestar é morder-lhe os tornozelos!

Não sei quem é pior: se o Hitler para os Judeus ou o Pai Natal para os elfos.
E depois alguém havia de se chibar à Sociedade de Protecção de Animais para resgatar as renas.. os coitados dos bichos não comem, e o barrigudo só lhes sabe dar chibatadas.. não é maneira de se tratar nenhum animal..aliás, onde é que já se viu tal bicho?? Em que outras circunstâncias se ouve falar de tal espécie a não ser para propósitos natalícios, de prestação de serviços do Shôr Pai Natal??
Eu digo mais: aquilo é um bicho estranho. Não é cavalo nem é veado...cheira-me a experiências genéticas.. o Pai Natal andou à palhaçada com a Mãe Natureza, só pode!
Epá, por isso é que o Baby Jisas é que é.. está lá na manjedoura sossegadinho, nas palhinhas deitado, nas palhinhas estendido..não chateia ninguém! Não bebe, não se droga, não tem problemas com a lei.. é um tipo às direitas! Faz-se acompanhar dos respectivos pais e de dois animais...mas são animais à séria! Um burro e uma vaca, e pronto!"

E é isto. Quem sai aos seus...

sábado, 22 de novembro de 2008

Vapt Vupt

Já tentaram alguma vez acordar num sábado de manhã, porque até vos parece muito claro para a hora a que supostamente teriam de acordar (06.20), para logo se aperceberem que o filho de uma grande P*ta do despertador não tocou???
Banho, farda, make-up e casa-avião em 50 minutos... E não, não moro na Portela...

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Eu sou a FaVa Madrinha!

E é que sou mesmo!
Pois que há certas pessoas (daquelas importantes), que me ligam quando comem esse belo pitéu! Porque sim, porque sabem da minha paixão e adoração por um belo prato de favas com chouriço, e se lembram de mim! Porque querem saber se quero almoçar ou jantar com elas, ou até mesmo se eu quero que me guardem uma piquena marmita congelada para mais tarde (seja quando for, que favas congeladas com amor e carinho sabem sempre bem!) eu me deleitar.
E eu fico tão contente...
Saber que pensam em nós quando se fala no nosso nome, quando se ouve aquela música especial, quando alguém tem aquele perfume que era o nosso, quando se passa à porta de nossa casa..tem o seu charme.
Mas saber que mais do que uma pessoa pensa em mim quando come favas...é uma categoria!!! É que fico mesmo feliz, pá!
E que bem que sabia um pratinho delas agora...com chouriço, claro!!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Ó pra mim!!


Esta sou eu, toda eu, no mundo dos meus mui adorados Simpsons. E até nem está muito longe da verdade, a bem dizer! Amarelinha que só eles!! E sabem porque é que os Simpsons são amarelinhos, sabem??? Eu digo...a ideia era mesmo confundir o caro espectador, nos primeiros episodios, e pôr o pessoal a regular a côr dos "télvisores", à espera que os bonecos ficassem com uma côr dita "normal"...coisa que não viria a acontecer jamé!
Experimentem a brincadeira aqui.
Não é corrente nem cadeia nem diabo a quatro que não há paxorra! Mas tem graça!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Uma questão de semântica

Ela: "Responde-me apenas: Amas-me?"
Ele: "Não se trata de não amar. Trata-se de ser impossível esta forma de viver!"
Ela: "Não foi isso que eu perguntei. Amas-me?
Ele: "Amo. Mas não quero viver mais assim..."

Eu pr'ós meus botões: O verbo "Amar" deveria pertencer a uma qualquer sub-categoria particular dos verbos impessoais. Pois que também ele designa uma acção involuntária, mas que, possuindo sujeito e objecto na oração, não devia nunca ser precedido por qualquer tipo de conjunção coordenativa adversativa. Muito menos um "Mas".

Ama-se. Ponto final.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Mundo Onírico

Os meus sonhos assustam-me.
E não são só os pesadelos que me assustam. Todos os sonhos em geral.
É rara, muito rara mesmo, a noite que não sonhe. E quando sonho, sonho em grande! E mais raro ainda é sonhar e não me lembrar do que sonhei quando acordo. Tenho o "poder" ou seja lá o que for, de me lembrar pormenorizadamente, assustadoramente, minuciosamente de cada detalhe mais surreal do sonho. Desde os intervenientes, ao local onde decorre a acção, às roupas que cada um traz vestido, as cores envolventes, as expressões faciais, os temas de conversa, as minhas reacções, as coisas que pensei mas não verbalizei no sonho...tudo!
E mais: se há aquelas pessoas que têm sonhos do género cartoons, onde têm super poderes, onde entram monstros e coisas do outro mundo...eu não! Que sou menina de pés bem assentes no chão e como tal, todos os meus sonhos são perfeitamente ajustados e adequados à realidade que vivo no momento. Sonho quase sempre com as coisas que, enquanto acordada, me ocupam mais o pensamento, me preocupam, me deixam introspectiva. Mais estranho ainda: não sendo capaz de fazer previsões nem premonições (quem me dera, para ver se me saía "a merd* do euromilhões"..já diz o Nel Monteiro!)...sonho também com pequenas coisas, a que eu chamo de "sinais", nos quais fico a pensar posteriormente, que me fazem ver determinadas situações de outra maneira, e até mesmo ficar mais atenta ao que me rodeia.
Sei que sou uma pessoa extremamente intuitiva, sei que tenho os meus feelings que para o bom e para o mau me vão dando luzinhas e soam alarmes dentro de mim que muito me ajudam. E sei também que em grande parte dos meus sonhos "resolvo" questões pendentes que, na realidade não valem a pena sequer ser mexidas nem faladas, mas que no inconsciente ainda mexem com os meus interiores. Daí sonhar tantas vezes que discuto com personas non-gratas, com as quais na realidade só quero distância e zero conversa; daí sonhar que inclusivé parto para agressões físicas quando essas mesmas pessoas continuam a ser, mesmo em sonho, as mesmas hipócritas e cínicas que são na realidade, e só espetando uma valente bofetada na cara me sinto satisfeita; daí sonhar que falo com quem já não posso falar, e ouço o que na realidade já não posso ouvir; daí sonhar com o que leio nas entre-linhas do meu dia a dia e temo que aconteça na realidade, e que no meu sonho acontece de facto para me prevenir; daí sonhar com aquilo que quero muito que aconteça e perceber que, durante o sonho, sou feliz, me sinto preenchida e completa, e com aquela vontade de "Não quero acordar nunca!!".
Acho que nos meus sonhos sou o prolongamento daquilo que a realidade me limita e a fotografia nítida do meu inconsciente...e às vezes...isso assusta, mesmo quando o sonho é bom!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Zafio


Ora bem! A ver que o artista escolhido só era aqui há tempos, o homem da minha vida. Jacko Wacko. Michael Jackson e o seu rancho no Neverland faziam parte do meu quotidiano. Cause thiiiis is thrilller thriller niiiight! E os fantasminhas e tudo. Ena pah o que eu gostava dele. E gosto!



1. És homem ou mulher? "Liberian Girl"
2. Descreve-te: "Smooth Criminal"
3. O que as pessoas acham de ti? "Black or White"
4. Como descreves o teu último relacionamento: "Thriller"
5. Descreve o estado actual da tua relação com o teu namorado ou pretendente: "Wanna be starting something"
6. Onde querias estar agora? "In the closet"
7. O que pensas a respeito do amor? "You rock my world"
8. Como é a tua vida? "Dangerous"
9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo? "Scream"
10. Escreve uma frase sábia: "Don't stop till get enough"


E pronto. A foto diz tudo... estava doente, mesmo doente mas ainda assim não parei sugada na cama e com uns olhos a querer ver este mundo e o outro.

Parabéns, Umbigo!

Eu queria escrever algo sobre o primeiro aniversário do nosso Umbigo...a sério que queria, mas a Fifs achou por bem ouvir o tema "Bailarico dos Bombeiros", retirado do álbum "Comboio do Forró", do nosso mui querido Nel Monteiro, e como podem imaginar a concentração torna-se escassa! Pois que ele diz que, e passo a citar: "era um calor do cacete, no quartel quase tudo fugia, foram pegar nas mangueiras mas o fogo não se via. Era uma mini-saia que tinha falta de amores, pois que entre a multidão ia espalhando calores", e o diabo a quatro, e por mais que eu queira ser nostálgica e saudosista e relembrar aqui algumas das nossas melhores pérolas numa espécie de compacto best off de fim de ano....não dá!
Aqui fica somente um grande bem-haja a quem nos lê desde o primeiro post, e aos que, devagar, devagarinho, vão achando alguma graça a esta esquizofrenia saudável (ou não) que nos invade diariamente e que precisamos, como que uma necessidade fisiológica partilhar para a modos que não explodir!
Bem-haja, e voltem sempre porque, como podem constatar, isto tem tendência para piorar, e a decadência humana é coisa sempre bonita de se ver!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

A ti calhou-te cócó... A mim carapaus à espanhola

Carta a um ilustre desconhecido:

Até podes ser bom, ser bom marido/ boa mulher, namorado, romântico inveterado, bom na cama, bom a dançar, bom a cozinhar. Podes ser imaginativo, uma bomba, um altruísta, um lamechas e um coração de algodão doce.
Podes-te mover em torno de alguém que abrilhanta o teu dia, ter necessidade de dizer aos transeuntes que se te cruzem, que lhe dizes que o amas, todos os dias da tua existência.
Que lhe fazes, aconteces e que o viras ao contrário... Podes levá-lo a passear e falar dele como se fosse um cãozinho... Ou um tamagochi, a que(m) dás papinha, amor e carinho e limpas-lhe o cócó.
Podes presentear o-teu-mais-que-tudo com a Torre Eiffel, a Estátua da Liberdade ou mesmo a Lua Cheia... Uma mão cheia de jóias Tifannys =)
E expor tudo, mas tudo neste Universo que vai e vem, neste vapt vupt que é a vida, nesta bolha que é a nossa... Mas sabes que mais...?

WE DON'T GIVE A DAMN! E o Cosmos também não.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Pontas soltas

Que há tanto eu tentava cortar. Que, por soltas, saíam do novelo da minha vida, que nunca primou pela perfeição nem pela forma homogénea que os novelos supõem ter. De soltas e rebeldes acabavam por se prender a outrém, a outros, a coisas, que vou arrastando como uma bagagem pesada da qual não me conseguia/queria livrar.
Caprichos dos quais não se abre mão. Escolhas que revelam ser más. Adiamentos de decisões inadiáveis mas que apenas porque sim levam o tempo que têm que levar até ao dia "D". Mudanças.
São as desilusões, são as lembranças do bom e do mau, a insustentabilidade do momento que se vive, a falta de forças para continuar a arrastar uma bagagem que já não é nossa e que nos atrasa cada vez mais. São balanços de vida que de repente se fazem cujo somatório é igual à certeza do que é necessário mudar.
Custa-me mudar. Tanto me sufoca a rotina e a estagnação, como me assusta a mudança por mais esperada e necessária que ela seja. Talvez por ser radical, talvez porque mudança invariavelmente para mim signifique corte com o que já foi, e nunca prolongamento do passado. Quando mudo re-começo. Sem amarras, sem pontas soltas.
Dou por mim a cortar todas as pontas que destoavam do novelo que eu quero certinho, por agora, da minha vida.
E se antes pensava tanta vez no que eu tinha a perder...agora só consigo pensar no que tenho a ganhar. Que é tanto e bom e saudável e libertador.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Desafio

Colocar uma foto individual nossa; escolher uma banda/artista; responder às questões somente com títulos de canções da banda/artista escolhido; escolher 4 pessoas que respondam ao desafio, sem esquecer de avisá-los..

Vamos a isso!
Aqui está: A menina da foto com a xupeta a tira colo que aqui não se vê, sou eu.

A artista escolhida, Madonna.

1. És homem ou mulher? "Who's that girl"
2. Descreve-te: "Ray of Light"
3. O que as pessoas acham de ti? "Beautiful Stranger" (modesta, sempre!!)
4. Como descreves o teu último relacionamento: "Devil wouldn't recognize you (but I do)"
5. Descreve o estado actual da tua relação com o teu namorado ou pretendente: "Cherish"
6. Onde querias estar agora? "Miles away"
7. O que pensas a respeito do amor? "Till death do us part"
8. Como é a tua vida? "Human Nature"
9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo? "Live to tell"
10. Escreve uma frase sábia: "Laugh to keep from crying"

Não vou passar o desafio a ninguém, mas digo-vos que é um exercício interessante de se fazer.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Just wondering

Hoje ouvi na Rádio (m80 Ra-di-uuuuuu) que segundo um estudo o povo considerado mais ciumento é o brasileiro... E o menos é o Japonês... E que tudo se explica dada a evolução dos povos, ou seja o ciúme é considerado um sentimento primitivo... Mas não o é o amor também?

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Compasso de espera


Há pessoas que simplesmente não se decidem.
Não, não são pessoas indecisas. Indecisa sou eu, que também sou bipolar e ora quero ora não quero, ora amo ora odeio, ora choro ora rio e sobretudo quando me dizem "vais ou ficas?" é como dar-me uma machadada na cabeça e dou por mim a fazer listas de prós e contras até ao minuto final...mas decido.
Eu falo de pessoas que são mesmo incapazes de tomar uma decisão. De dizer sem sombra de dúvida e assumir consigo próprias o compromisso de, independentemente das consequências da sua escolha, levarem-na até ao fim.
Isso faz-me bastante confusão. Eu sou insatisfeita e sou ambiciosa. Eu quero sempre um bocadinho mais e melhor, e chegar mais longe e testar-me a mim mesma e ao que me rodeia. Mas eu consigo escolher e pronto.
Não fico no eterno limbo de pensar: "Escolho x...mas e se entretanto encontro melhor?"; "Não posso escolher y porque estou automaticamente a pôr de lado a,b,c".
E pelos vistos esse tipo de comportamento é cada vez mais recorrente. Em conversa de amigos, que já não vão para novos e já levam uns aninhos de ramboia e regabofe, percebo que levaram uma vida de salta-pocinhas, de constante descontentamento e insatisfação que não lhes permite viver o presente na sua totalidade pois as poucas escolhas que fazem prendem-se sempre por um lado com os fantasmas do passado, e por outro com a ansiedade do que está para vir e lhes possa escapar por terem feito antes uma "má" escolha.
E depois o que é que acontece?? Acontece que olham à volta e vêm que têm muito pouco. Vêm que "quem tudo quer, tudo perde" e as grandes coisas da vida acabam por lhes passar ao lado, sem tempo para esperar que eles se decidam ou que finalmente escolham o quer que seja. Vêm que vivem num ciclo vicioso de "não escolhas", à espera que os outros escolham por eles, que os agarrem ou que os deixem, que os amem ou os odeiem, culpando, em última instância, o destino, esse ranhoso, que não os deixa ser felizes e teima em castiga-los com essa insatisfação, que os inunda de um vazio que não consegue ser preenchido com nada nem ninguém.

sábado, 1 de novembro de 2008

S

Esta dedico-a a todas a mulheres da minha vida..

Superwoman - Alicia Keys


À minha Mãe por conseguir sorrir a todos os obstáculos que se lhe apresentam e nunca mas nunca baixar os braços. Por ser tão sensata... Por saber viver com o que tem. Por me ter ensinado quase tudo o que sei!


À minha Avó por ter descoberto tão cedo a Solidão: Por ter perdido o amor da vida dela tão precocemente, por ser a maior lutadora de todos os tempos e por aceitar tão bem o curso natural da vida... Por ser tão sagaz!


À minha Querida amiga e irmã do Coração, Rita, que me provou poder haver amizade pura e por ter aprendido, com toda a Coragem, a sobreviver, com um sentimento de não retorno, de perda e de saudade... Por me ter ensinado a não aguentar, deles, o que não quero!

À minha amiga Tottas, por vir de um ambiente familiar tão desolador e ter o dom da boa disposição... Por nunca me ter julgado...

À minha amiga Isabelinha por cada vez mais acreditar em si...

A mim... Porque consegui tudo aquilo a que me predispus, sem homens para me segurar. Sem preconceitos nem vergonhas.

Só nós sabemos o que é ser mulher...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Piropos dos bons

Pois eis que hoje sou presenteada com um elogio daqueles... daqueles mesmo bons, que dá gosto ouvir, que nos enchem as medidas, e nos enchem de orgulho e de baba, e nos fazem subir o ego, a auto-estima e pensar: "Opá, que bêtise!!"
Pois que um rapaz, alto, moreno, giro que mete nojo, com uma pinta do caraças, inteligente, charmoso e que toca bateria que é uma coisa parva me diz que eu sou, e passo a citar, "uma rapariga muito próxima do ideal: inteligente, simpática, divertida, que não me dou com anormais".
Não foi nada de especial? Ora para mim foi. Adorei, e vindo da pessoa em questão teve um sabor mais que especial, um gosto especial, um sentido especial.
Ele não me quer engatar, não me quer dar graxa, não existem segundas nem terceiras intenções nas suas palavras, não existe maldade nem cinismo, nem sequer o disse por educação ou para não parecer mal.
Disse porque sim, porque eu sei que o sente, porque nos últimos tempos nos temos dado a conhecer mais e melhor um ao outro e isso deixa-me tão feliz...!
Tenho o melhor irmão do mundo! (E o mais giro também...záaaaas!)
Adoro-te miudo, és muito mais e melhor do que aquilo que imaginas...mas um dia vais perceber!


terça-feira, 28 de outubro de 2008

Em menos de um mês:

-Voltei a ter luz natural no meu quarto, após cerca de um ano de estore estragado;
-Aprendi, já me habituei e gosto de reciclar;
-Tenho todos os armários de casa (tanto roupa como louças) mais arrumados e organizados do que alguma vez conseguiria arrumar por auto-recriação;
-Tenho a minha roupa organizada por modelos, bem dobrada, a cheirar a amaciador de qualidade e a saquetas da comfort maravilhosas que recomendo vivamente;
-Tenho os sapatos impecavelmente arrumados em caixas próprias;
-Tenho o WC mais limpo, cheiroso e brilhante que até provoca encadeamento lá dentro, do bairro, aposto!;
-Sou surpreendida com roupa passada a ferro (pijamas, toalhas de banho, roupa de cama inclusivé!), e com mimos para a casa, só porque sim;
-Tenho uma companhia que às vezes acorda com a "Macaca do avesso", mas com o passar das horas se torna naquela pessoa que me faz rir até quase bolsar, me compreende só com os olhos, berra comigo, eu berro com ela, guinchamos as duas, dizemos muita coisa sem sentido (e aqui o adjectivo de quantidade "Muita" poderia ser facilmente substituido por: Doses industriais; até à exaustão; todo um mundo de bêtises; e por aí fora..), e já disse que nos rimos muito??

Conclusão: estou Muito Feliz com esta mudança na minha vida.
Nada é perfeito, e bem sei que é um calvário bem pesado ter de ouvir a "Shit Song" 7.000 vezes por dia, mas ela também me ouve a berrar todo um reportório de músicas dos Santa Maria, do José Cid, do Quim Barreiros e afins, e berra juntamente comigo e faz coreografias com as calças do pijama e mais não digo porque só ilustrando.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Darlings

Shit Song - Kate Nash

Esta é a minha música do momento, descreve na perfeição tudo o que penso sobre as reais bestas que têm passado pela minha vida e que de alguma forma me marcaram, ora pelas meias beiges ora por desaparecerem do mapa, ora por terem um comportamento altamente despropositado e precoce que o momento não exigia (um dia explico-vos) ora por não saberem se sim ou se não, ora por "sacudirem a água do capote" e armarem-se em adultos, ora por um dia ser a mulher da vida deles e no dia seguinte a Gata Borralheira. Sou mais eu graças a todos voces, não teria motivos de me rir a bandeiras despregadas de cada vez que me lembro dos episódios caricatos deste ano e de cada vez que ouço esta musica! =)

Adoro ser uma Bridget Jones à maneira portuguesa onde tal como o Midas (mas o do Universo Paralelo) tudo o que toco se transforma em bêtise (Herman pah tas la!)

domingo, 26 de outubro de 2008

Premio Dardos para Nós!


E após quase um ano de existência do nosso Umbigo, eis que surge o primeiro premiozinho, carinhosamente dado pela Inês, e que muito nos encheu de orgulho! E não é um prémio enche-chouriços qualquer, pois que diz:
"O Prémio Dardos reconhece o valor de cada blogger ao transmitir valores culturais, éticos, literários ou pessoais e que de alguma forma demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto naquilo que escrevem. Por outro lado, esta é também uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web."
Quem recebe o Prémio Dardos e o aceita deve seguir algumas regras:
1 - Exibir a imagem; 2 - Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio; 3 - Escolher quinze outros blogs aos quais entregar o Prémio Dardos.

E como só podem ser 15, eu escolho os seguintes blogs para premiar ( e os restantes que me perdoem, mas para a próxima eu compenso!!):


Um grande bem-haja para todos!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Cenas de Supermercado

Não, não é mais uma cena de "peixeirada", mas de facto ultimamente a nossa vida (minha e de Sôdona Pips) tem-se passado muito em Jumbos, Ikeas e outros estaminés onde vemos fragmentos de nossas vidas a passar por entre as papaias e as estantes em promoção.
E esta coisada suscitou-me uma grande dúvida... Sou uma criatura que insiste em não ter coisas bem resolvidas com defuntos, ora portanto ou é para nunca mais falar e ficar-lhe com um ódio fidagal de maneira a ter náuseas de cada vez que o vejo, ou coisas de género: "Ok ficas com a tua e eu fico com a minha ( e a minha é que tu és um grandessíssimo cabr*o, ó meu ganda Xoné) mas até tolero a tua presença em certos e determinados eventos sociais"... Como tal, de cada vez que sou confrontada com as bichezas fico cheia de nervos...! Uns mais que outros, obviamente, dependendo do grau de má resolução, mas lembro-me das coisas e confesso que me pavoneio para ver se me vêem, e qual é a reacção do animal... E fico pensando se os rapazes também ficam a pensar no mesmo, se lhes bate saudade ou se pura e simplesmente, ver-me, transmite-lhes sensações iguais à do esparguete enlatado estar em promoção em talão Continente...

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Agora a sério

Alminhas blogueiras e afins que gostam de passarinhar por aqui e ver o que se passa nas minhas vidas: bem sei que têm saudades dos meus loooooooongos, extensos, intensos, criativos, metafóricos e metafísicos textos, repletos de crises existenciais, saudosismos, nostalgias e outras lamechices equiparáveis.
É verdade que tenho andado mais numa onda do "curta e grossa", e que mais ênfase tenho dado às questões mundanas, do pecado e consumo imediato, até porque assim os posts são mais curtos e os meus queridos perdem menos tempo das vossas agitadas vidas a ler o que a menina tem para bolsar.
Em breve novas informações serão partilhadas com o mundo em geral, e com vocês em particular e depois, detalhadamente, com direito a pormenores sórdidos e afins, relatarei as mudanças radicais que aos poucos têm entrado na minha vida e feito toda a diferença nos meus dias.
Até lá... um grande bem-haja para todos e continuem a clicar no nosso umbigo que está sempre cheio de coisas giras e sem interesse absolutamente nenhum, mas que nós gostamos de partilhar porque não somos invejosas e porque o mundo precisa de nós, comé óbvio!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Dúvida existencial #2

O que é mais grave?
- Encontrar uma personagem num qualquer hipermercado e ficar na dúvida se essa pessoa é a mesma com quem há uns 4 ou 5 anos atrás se teve um petit quelque chose mais rápido que a própria luz, mas que ainda assim deveria pressupor reconhecimento automático e sem espaço para dúvidas?
Ou...
- Depois de a amiga que nos acompanha mandar 3 berros com o suposto nome da personagem para ver se ele olha...verificamos que é, de facto, a pessoa em questão, sermos catadas, andarmos em passo acelerado da caixa 3 até à 42, escolhermos a caixa onde se pagam os sacos, e perceber que o jovem está simplesmente medonho, horrível, apenas uma sombra daquilo que numa noite de ramboia, folia e jolas pareceu ser?!

Não admira que não o reconhecesse à primeira...!

domingo, 19 de outubro de 2008

Destruir depois de ler

Ora, Fifs e mãe de Fifs, 4 vezes mais nariz empinado do que eu, dirigem-se ao cinema para tarde de reinadice na companhia dos irmãos Cohen e sobretudo do Brad (pra mim) e do Clooney (pra ela)... A páginas tantas, ainda antes do filme começar, luzes acesas, cheiro e barulho a pipocas infernal, a minha mãe, depois de eu ter mandado 2 ou 3 bocas para o ar vira-se para o seu lado esquerdo e diz:

"Olhe, desculpe, a menina não tem outra maneira de comer???"

Menina - "Tenho mas também ha maneiras de abordar as pessoas..."

Minha Mãe - "Pois há e há maneiras de comer... Boca fechada é uma delas!"

Menina - "Mas tem de respeitar a minha maneira de comer, (isto aos gritinhos desde o início) também não tem de falar assim só porque a incomoda".

Mae - "E a menina tem de respeitar as pessoas que a rodeiam, e comer de boca fechada, que mais parece um roedor!"


Tufas, eu não tugi nem mugi mas incomodou-me, caneco! O ritual da pipoca, para quem não aprecia pode realmente tornar-se irritante para quem vai ao cinema só e tão simplesmente ver um filme. A coisa do rash rash rash à procura DA pipoca no balde, o raush raush raush a comer a pipoca com os molares e de boquinha bem aberta e slurp slurp da coca-cola pode despoletar crises nervosas! E isto dito pela maior fã de pipocas (misturadas, sempre...) de Lisboa e arredores mas bolas! Tenham modos! Tavamos surdas...
Conclusão, tive o cinema em peso a olhar para mim mas senti-me orgulhosa por ter tirado a prova dos nove de que é impossível ser adoptada...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Home

Queridos! Mudei de casa, saí de casa dos meus pais... Não está a ser nada fácil porque tenho um milhão de coisas, porque a casa estava a precisar de uma reforma e porque... Adoro de paixão os meus pais... São divertidos, amigos, bem-dispostos, canininhos e sempre me ensinaram na teoria e na pratica o que é um Lar.. Custou-me sobretudo pelo meu Pai, porque sou totalmente menina do papá e porque sei que de nós os três sou a unica tão bem-disposta quanto ele, pela minha Mãe porque sempre fui o apoio dela, nas pequenas discussões com os pilas lá de casa, porque adianto o jantar ou porque simplesmente lhe dirijo um piropo quando sai de casa e pelo meu irmão porque é um Xarilóide com 17 anos que precisa neste momento de todo o tempo de antena que lhe possam dar...
Mas estava na altura! 25 anos e alguma sustentabilidade que me permite esta mudança... Alguma saudade no coração porque como em tudo da minha vida foi feito com alguma impulsividade! Mas está feito e a mudança não podia ter sido para melhor (uma companheira de casa maravilhosa sim a minha Pips!!!) O nosso cantinho brilha, está lindo e cheiroso e cada vez vai ficando melhor... Assim como a minha consciência cada vez mais clara de que agora sou grandinha e Big Girls don't cry!
Quanto aos meus pais, que sei que não lêem quero-vos agradecer por tudo o que me ensinaram, o apoio que me deram e continuam a dar e sobretudo por me terem ensinado o que é um Lar. Dou-vos todo o valor... Obrigada! Dee Lady*

Duvida existencial #1


Eu, Pips, acho que o famoso Halibut tão usado nas assaduras dos rabinhos dos bebés e afins, cheira mal a bacalhau passado de validade.
Fifs acha que o Halibut tem um cheiro doce; faz-lhe lembrar os aviónicos, que é como quem diz os óleos dos aviões.
E vocês?? A que é que vos cheira??

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Stand up 2 cancer

É raro publicar videos aqui no Umbigo, porque se os meus caros leitores forem todos como eu, apenas 1 em mil visitantes se dá ao trabalho de ver o conteúdo do video. Mas esta é a minha música do dia, boa onda, boa causa, fresquinha, para partilhar com o mundo e com vocês em particular!
P.S- Beyoncé, querida, que assassinato foi esse que tu fizeste ao cabelo?! Pr'ró que te havia de dar!!!

Just Stand Up! - Various Artists

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Lá está ele...

Mais uma vez...e desta para bolsar mais uns quantos clichés, chavões e frases-feitas sobre o projecto-lei que vai a votos amanhã na Assembleia da República, sobre o casamento entre homossexuais.
Moita Flores no seu melhor, dia e noite, noite e dia. Sobre tudo e sobre nada. Porque sim e porque não. Mais do mesmo mas trabalhar na câmara de Santarém é que não!
Gostei especialmente do facto de sem mais nem menos bolsar mais uma das suas estórias de faca e alguidar, onde uma senhora vítima de violência doméstica há 20 anos assassina o marido porque não se podia divorciar visto ser católica.
E agora perguntam vocês: "Elá, que grande desgraça...mas e depois? Então o tema não era o casamento entre homossexuais?".... Pois era sim senhor, mas o xôr Moita Flores fala do que lhe bem apetece e dá na real gana! Não é para isso que lhe pagam? E também, o que é que interessa um projectozinho de lei, que até já todos mais que sabemos que vai ser chumbado (ah! não era para se dizer?), comparado com as pérolas que este grande querido tem para nos presentear?

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Hifiver

Porquê??? Mas purquêêê??? Que só me calham gajos horripilantes no hi5??? Desculpem a futilidade mas bolas pah! Nem um bébé, um gajito vá engraçadote que uma pissoa vai a ver as fotos e "ah sim senhor, cabedal e o camandro e cara de bambi malvado, tudo bem me gusta" mas nada disso...
Só falta chamarem-se manel da provocação... Irra!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Serei a única...? #3

A não me conformar com a mudança do bonequinho do Multibanco?? O novo que me perdoe mas que saudades que tenho do pequenote com luvinhas brancas!!!!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Serei a única...? #2

A achar que o José Carlos Pereira era capaz de ser melhor ventríloco do que o Zé Freixo com o pato Donaltim, nas manhãs da Fátima Lopes?

sábado, 4 de outubro de 2008

O poder do silêncio

É inestimavel. Há quem o substime e pense que consiga viver bem com ele. Mas no fundo acho que é a arma mais poderosa e que maiores danos consegue causar no "inimigo".
A conviver com quem está pela primeira vez a sentir os azedumes de um desgosto amoroso, a revolta do não poder fazer mais, a frustração do não se deixar ouvir, a ansiedade da não resposta do outro lado, o telefone que não toca, a mensagem que não tem retorno... percebo mais uma vez, apesar de não ser comigo, que há palavras que ferem muito, há gestos que ferem ainda mais, mas o poder do silêncio e da indiferença é superior a uma possível palavra feia, a um virar de costas, a um berro mais alto.
Gostava de poder fazer mais...mas para já ficam os mimos, as palavras de conforto e a disponibilidade para estar SEMPRE do lado dele.

I feel it all

Hoje, dia de escolha anti-panhonha e acertada ( o que não quer dizer que nos outros dias não as faça), pensei nos que merecem tudo em detrimento de gente que não merece grande coisa. Comprei uns bilhetes para a "Verdadeira Treta" porque havia certa pessoa que fazia anos e segundo percebi a meio de uma qualquer conversa, gostava de ir ver... E se por um lado até acho que bilhetes seja para o que for é uma prenda meio "egoista", porque supostamente é para ir ver com a pessoa que lhe oferece, por outro é sempre um bom presente.
Mas como há pessoas que confundem o ser independente e ocupado com o desprendimento total, e como de burrinha sentimental tenho cada vez menos, peguei nos ditos bilhetes e dei-os... aos meus pais! Que são umas ricas coisinhas e ficaram todos contentes! Isto tudo para dizer que uma pissoa de vez em quando esquece-se de valorizar quem tem por perto e tem a mania de dar tudo ao que está de momento em conexões com o nosso tantra e portanto aqui vai disto até à proxima patada. Desta vez arrotei 40 euros mas foi cá pra casa e não para um ser completamente desligado que põe as actividades desportivas acima de qualquer ser humano no planeta. Chega de ser Panhonha!
Quanto ao que de mais se passa na cidade... Não sei se já repararam as meninas que agora desde o Michael Scofield (bebé do prison break), ao Jude Law, ao bambi dos Lost que agora varreu-se-me o nome mas é Fox, é so anuncios pela nossa bela Lisboa. Ele é de cremes anti age, ele é de perfumes e com isto tudo uma pessoa zorienta-se no trânsito, leva buzinadelas e deixa o carro ir abaixo... Abençoado movimento da metrossexualidade!!!!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Serei a única...? #1

A adorar de paixão a música do Luis Paulo (ou será Paulo Luis?), que o Herman José tomou como um dos hinos da nova Roda da Sorte?!
"Até te encontrar, vou andar por aíí....
Até te encontrar o horizonte és tuuu!"

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pérolas #1

Gonçalo da Câmara Pereira acaba de bolsar tamanha pérola, em directo na Sic:
" A homossexualidade é uma doença, sim senhor! E é contagiosa! Que eles nunca o são [homossexuais] sozinhos! Aquilo pega-se...são sempre dois e pegam de empurrão! E às vezes quando se dá conta chega outro e pimba, já são três!"
E agora vem a parte com graça: É que pagam-lhe para ele dizer "maravilhas" destas!... Está certo!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Makeover

Já está!
O rosa foi com o camandro e o nosso Umbigo está com um look de Outono, mais discreto, mais crescidote e mais low profile.
Obrigada pelas ajudas, truques e dicas!
Esperamos que esteja do vosso agrado...nós gostamos!