sábado, 4 de outubro de 2008

O poder do silêncio

É inestimavel. Há quem o substime e pense que consiga viver bem com ele. Mas no fundo acho que é a arma mais poderosa e que maiores danos consegue causar no "inimigo".
A conviver com quem está pela primeira vez a sentir os azedumes de um desgosto amoroso, a revolta do não poder fazer mais, a frustração do não se deixar ouvir, a ansiedade da não resposta do outro lado, o telefone que não toca, a mensagem que não tem retorno... percebo mais uma vez, apesar de não ser comigo, que há palavras que ferem muito, há gestos que ferem ainda mais, mas o poder do silêncio e da indiferença é superior a uma possível palavra feia, a um virar de costas, a um berro mais alto.
Gostava de poder fazer mais...mas para já ficam os mimos, as palavras de conforto e a disponibilidade para estar SEMPRE do lado dele.

2 comentários:

Meia às Riscas disse...

É uma grande verdade, sim senhora! Estão linkadas. Não conhecia, mas, assim à primeira passagem de olhos, gostei bastante!

Pips disse...

Obrigada! Volta sempre porque nós somos visitantes assíduas! ;)