segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Revelações


Eu tenho um 6º sentido apurado. Apuradíssimo! E quando o alarme soa, raramente é em falso. Pressentimento, intuição, antecipação, dedução à velocidade da luz, o coração bate mais forte, não tenho visões mas uma certeza cá dentro diz-me atempadamente o que venho a confirmar mais tarde.
E confirmei. E que bom que foi!
Uma conversa tranquila, longa, esclarecedora, que trouxe um alívio imenso para ambas as partes. Porquê agora? Porque não antes, quando poderia ter sido crucial para nós, para decidirmos outros caminhos, fazermos escolhas melhores, sermos mais fortes e audazes? Porque não era a altura certa. Porque tinha de ser assim, e só agora foi o tempo e a hora certa para o "confronto". Não houve armas de nenhum dos lados, nem sequer bandeiras brancas. Era notório que ambas estavamos em busca de Paz. De fazer as pazes, não entre nós, porque não era caso disso, mas com o passado, com o que ficou para trás. E mesmo sem sabermos, mesmo sem o assumirmos na altura, fizemos parte do passado uma da outra de forma tão presente!
De facto cada vez mais me convenço de que nada, mesmo nada, acontece por acaso. E que há coisas que, leve o tempo que levar, têm de ser ditas, têm de ser faladas, partilhadas, esmiuçadas até à exaustão, se preciso for... tal como há outras que, depois de um simples gesto se percebe toda a mensagem, e não é preciso tocar mais nelas.
Ainda bem que me procuraste. Ainda bem que falamos. Ainda bem que a sinceridade esteve acima do orgulho ferido, da frustração, de tudo. Ainda bem que abrimos os corações, que lavámos a "roupa suja", roupa que nunca fomos nós a sujar, que tantas vezes tentamos tirar as nódoas que constantemente caíam sobre ela. Ainda bem que tudo passou. Que estás feliz e aliviada como eu. Que sabes que o problema não era teu, não estava em ti. Que sabes que há alguém no mundo que sabe o sabor das lágrimas que choraste, as noites que não dormiste, o tanto que guardaste para ti, em silêncio, a frustração, a ansiedade e o medo. Alguém que te percebe, que estava do outro lado da barricada mas não era contra ti. E agora que pulamos as duas para o mesmo lado, este, onde se está tão bem, onde se respira de alívio, onde se vive em Paz, onde se sabe o que Não se quer, onde se é feliz porque não se tem quem nos faça infeliz... Agora que sabemos muito mais do que os outros pensam, agora que já nos rimos tanto às custas de outrém, agora que até fazemos futurologia e sabemos tão bem o que vai acontecer do outro lado, agora que novos capítulos das nossas estórias se abrem, com novas personagens, daquelas que vale a pena conhecer, é mesmo "tempo de viver". Porque ambas merecemos. De cabeça erguida, sem vergonhas do que passou, sem mágoas profundas, sem traumas nem dramas.
Porque nós merecemos! ;)

3 comentários:

M de mim disse...

O que mais me surpreende é verificar que na delicadeza do nosso gesto nem um só momento dissimulou as realidades da nossa vida.Que tudo o que parecia inexprímivel até então se fez notar tão claro, tão preciso...e tão fácil para ambas as partes. A conversa foi reveladora, mas acima de tudo foi uma partilha...de tudo o que vivemos!De todo o sofrimento! E sim, hoje sei que não estive sozinha na minha dor, que do outro lado havia alguém que me compreendia tão bem.As nossas amigas estiveram sempre lá,apoiaram, partilharam lágrimas, mas não entendiam... sem no entando nos julgarem.Era incompreensivel para elas!Connosco é diferente, nós entendemos muito bem. Entendemos muito bem o que foi estar do outro lado. Agora estamos deste, e é tão bom! =)
Tudo aconteceu na hora certa!
Um grande bem haja por te teres revelado tão boa pessoa, humilde e sincera. Está na hora de sermos felizes! PORQUE NÒS MERECEMOS!!! =)
Beijinho grande*

Princesa M disse...

Acima de tudo, tu mereces! E tudo está bem quando acaba bem. E ainda bem!

Mariana Domingues disse...

fico sempre derretida a ler os teus textos, escreves tão bem (: