quarta-feira, 8 de junho de 2011

Da amizade sem pressupostos



Se há coisa a que aprendi a dar valor nos últimos anos foi à Amizade. Antes acho que não dava. Até certa altura da minha vida vi a amizade como um dado adquirido. É suposto ter amigos. É suposto que aqueles de quem gosto também gostem de mim. É suposto que estejam lá para mim, que queiram fazer programas comigo, que tenham tempo e espaço nas suas vidas para o meu feitio, para os meus problemas, para as minhas vontades e apetites. Se eu faço tudo isso por quem gosto é suposto que façam o mesmo por mim.

Mas com o passar dos anos percebi que não é bem assim. Que o tempo passa depressa, que há tanto para fazer, que cada um tem a sua vida, tão preenchida de coisas e pessoas, que no fundo nada é garantido. E que a ideia de tudo aquilo que eu achava ser suposto não é.

Não é suposto que se lembrem quando a minha Mãe fazia anos. Não é suposto que me mandem mensagem no dia da Mãe. Não é suposto que tenham tempo para mim quando eu só apareço de 4 em 4 meses. Não é suposto que me liguem sempre que veem a Lisboa. Não é suposto que me mandem mensagens mesmo quando eu não mando há semanas. Não é suposto que gostem do meu namorado sem o conhecer. Não é suposto que me mandem fotos das barrigas muito grávidas mesmo que não nos vejamos há 3 ou 4 anos. Não é suposto que confiem em mim e partilhem problemas e angustias, me peçam conselhos e ajuda, mesmo quando ficámos quase 2 anos sem nos falarmos. Não é suposto que falemos sobre tudo e sobre nada em chats quando estamos tão perto fisicamente mas nunca estejamos juntas.

Mas a verdade é que tenho a imensa sorte de ter tudo isto. Tudo aquilo que não é suposto nem garantido. Com poucas pessoas, mas com as pessoas certas. Diferentes tipos de amizade, diferentes tipos de proximidade. Distâncias físicas que não se traduzem no espaço que guardo para cada uma delas no meu coração.

Por tudo o que não era suposto mas que ainda assim tenho e recebo das minhas amigas... muito obrigada!

3 comentários:

A'S disse...

Não é suposto, mas a amizade é assim ^^

E digo, se isso é assim, então és um caso raro, cada vez mais raro :)

Miss G. disse...

E cmo eu penso que me incluo nesse grupo: obrigada a ti também por tudo o que dás e se calhar nem te apercebes. A certeza de que mesmo que às vezes em silêncio estás aí, as palavras sempre tão sensatas e sobretudo a disponibilidade que tens sempre para analisares, ouvires e falares sobre as coisas das outras pessoas. E tens uma coisa que sabes que adoro: o não achares que os teus conselhos são brilhantes ou devem ser obrigatoriamente seguidos. E aliás tu não dás conselhos e sim mostras caminhos, opções e possíveis resultados que daí vêm. Também não dizes sempre que sim, criticas quando é preciso mas sabes fazê-lo sem ser bruta e de forma a percebermos que o fazes por amizade. E talvez seja por isto que mesmo que tu não dês notícias às vezes durante e possamos estar tão poucas vezes juntas fisicamente algum tempo temos sempre vontade de falar contigo.
Gosto mesmo muito de ti Ritititz.

Ritititz disse...

A'S: deve ser porque eu e as minhas amigas somos "aves raras", mesmo! :)

Miss G: Fiquei babada com estas palavras...se a tua descrição é 100% fiel ou influenciada pela nossa amizade não sei! Mas sei que fico feliz por saber que é isso que pensas de mim, e que, de uma maneira ou de outra, a forma como me vês te possa ajudar de vez em quando. Obrigada!!