terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Coisas que se descobrem aos 28 #3





Cada vez me preocupo menos em agradar a toda a gente.

E se há alguém que viveu grande parte da vida com esse estigma, esse alguém fui eu. Em não desiludir, não defraudar espetativas, a precisar de validação externa, a custar-me horrores não fazer o que esperavam de mim, mesmo que não fosse isso que eu quisesse fazer.
No fundo sempre senti que se fizesse o que os outros queriam, iam gostar mais de mim. E no fundo sempre precisei muito que gostassem de mim.
Perceber claramente que cada vez me preocupo menos com isso é perceber que cada vez me preocupo (e gosto!) mais de mim. E isso é bom.

1 comentário:

Miss G. disse...

E eu também me sinto assim.