quarta-feira, 2 de junho de 2010

Decisões


Não gosto de as tomar. Tenho dificuldade. Congelo, prendem-me os movimentos e as ideias.
Tenho um medo terrível de perder mais do que aquilo que posso vir a ganhar. Fico com o cérebro a mil e a pergunta "Então mas e se?..." bomba constantemente na minha cabeça.
"E se correr mal?"
"E se me arrepender?"
"E se for uma má escolha?"
"E se me estou a precipitar?"
E penso, e pondero, e avalio, e vejo os prós e contras milhões de vezes, faço listas, analiso, ponho tudo numa balança e meço milimetricamente o ponteiro para ver se sim ou se não, se vou ou fico, se arrisco ou não.
E peço opiniões, poucas, mas peço... e no fim faço sempre aquilo que eu quero e esqueço as opiniões, mas peço-as, sabe Deus porquê, ou para quê... acho que é mais para me ouvir a mim própria enquanto exponho a situação e voltar a analisar a forma como a exponho, porque até aí podem estar dicas preciosas para a tomada de decisão. Sim, é para isso mesmo, muito mais do que para saber o que os outros acham e seguir o que me dizem... Tal como agora, que escrevo aqui. Não é para pedir opinião sobre nada, é apenas para me ler a mim mesma sobre o quanto detesto ter de tomar de decisões.
Eu não disse que queria ser pequenina para todo o sempre?? É que ser pequenina é sobretudo isso: não ter de decidir nada, e por isso, nunca ficar a perder.

3 comentários:

almighty yellowphant disse...

"E se correr mal?"
"E se me arrepender?"
"E se for uma má escolha?"
"E se me estou a precipitar?"
pois, se isso acontecer azar. Não existe falhanço. Porque mesmo que não atinjas os teus objectivos, atingiste alguma coisa. nem que seja a experiência para não voltares a cometer os mesmos "erros"

Kikas disse...

são coisas da vida, daquelas que têm mesmo que ser :) se's, há em tudo na vida. há que acreditar na tua capacidade de seguir pelo caminho certo.

FTD disse...

Sem duvida, basicamente, "quem não arrisca, não petisca" :)*