sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Da vida a dois #3


Na noite em que me virias a pedir em namoro, um senhor simpático na casa dos 60, disse-nos que o segredo do seu feliz casamento de três décadas se devia ao cumprir de uma única e simples regra acordada entre ele e a sua senhora: Nunca adormecerem zangados um com o outro.
Que havia dias bons e maus, discussões e zaragatas, mas que, mesmo que a coisa não ficasse resolvida nesse dia, tinham de adormecer a bem um com o outro, e depois no dia seguinte logo se via se já tinha passado, ou se era preciso voltar a falar mais no mesmo.
Olhámos um para o outro e imediatamente soubemos que essa seria a nossa regra nr 1. A primeira de uma lista que iríamos colocar no frigorífico e completar à medida que nos lembrássemos de compromissos (não gosto de regras de verdade), que achávamos importantes cumprir para o bem da relação.
A lista nunca chegou a ser feita, pelo menos não sob a forma material, embora ambos tenhamos tido sempre bem presentes os "Do's e Don'ts" que queríamos para o namoro. Mas aquela regra, a primeira de todas, aquela que nos foi dada como receita mágica e elíxir do amor eterno, ficou bem memorizada no meu disco duro.
Sempre que temos conversas mais acesas (também não gosto de dizer discussões) que se prolongam até à hora em que o cansaço fala mais alto, e já não conseguimos ou não temos mais nada a dizer, mas ainda não te consegui dobrar para o meu lado, fazer com que me dês razão, com que me passes a mão na cabeça e digas simplesmente "pronto já passou, não interessa!", fico em silêncio, aninho-me no meu canto da cama e espero que adormeças. E depois, quando sinto que já entraste no teu sono mais profundo, vou chegando ao teu lado devagarinho, e abraço-te em cadeirinha, sem te acordar. E assim, mesmo sem tu saberes, cumpro a regra religiosamente, num esforço que é só meu mas que faço por nós, porque não sabemos o dia de amanhã, porque tu vales tanto a pena, porque só assim faz sentido.

3 comentários:

Rita G. disse...

Adorei este teu texto de mulher apaixonada:) bj!

Pips disse...

Rita G. é mesmo isso, texto de mulher apaixonada, que todos os dias descobre um bocadinho do que é viver a dois, sempre com muita paixão! :)

Kikas disse...

oh :') nem fazes ideia como me tocaste com este texto. adorei, é essa a essência :)