sexta-feira, 26 de março de 2010

Das rotinas...


Tenho a dizer que não gosto.
Que não sou fã, não me agradam, fazem-me confusão, evito-as, sufocam-me, aborrecem-me, deixam-me com a neura, de mau humor... xô, rotina, xô.
Sou assim desde pequenina. Era incapaz de brincar à mesma coisa todos os dias no infantário, e bastava-me meia hora na casinha das bonecas para morrer de vontade de ir para o cantinho dos livros, onde logo a seguir me apetecia revirar o baú das roupas, e já vestida de princesa brincar com plasticina, enquanto perguntava se faltava muito para o lanche!
Não gosto de saber que sei o que vai acontecer a seguir, não gosto nem de situações nem de pessoas previsíveis, não gosto de sentir que as manhãs são todas iguais, ou pior ainda que são iguais à tarde. Não gosto de ficar sem saber em que dia estou por todos os dias ter feito a mesma coisa, adormecido à mesma hora, comido no mesmo sítio, com a mesma pessoa, e acordado à mesma hora, e tomado o mesmo pequeno almoço de sempre, e chegado àquela hora certa ao trabalho, e almocado no sitio de sempre, onde o prato do dia até vai variando, mas só o facto de saber que é lá que vou e que é o prato do dia que vou pedir me tiram o apetite.
Não gosto de padrões, de repetições, de monotonia, de estagnação.
Mas sei que esses mesmos padrões, rotinas e repetições para muita gente são uma espécie de farol, e até mesmo uma forma de equilíbrio, de segurança, de estabilidade. E que é nessa mesma estabilidade que muita gente encontra a felicidade e paz de espírito. Eu não faço parte desse grupo, já que quem me quer ver feliz é a surpreender-me, a dar-me novidades, e a viver num limbo entre a surpresa e o inesperado!
Mas há alturas na vida em que de repente certas rotinas tomam conta de mim, do meu dia a dia e sobretudo das minhas noites e serões, e que me sabem tãoooooooooo bem! Nos últimos tempos têm sido as rotinas de descanso, os momentos zen que encaixei quase à pancada no meu planeamento semanal, e pelos quais espero ansiosamente durante o dia! E penso: "Eh lá... afinal até sou normal, comás pessoas!!"
Ou então simplesmente estou a um passo de ter um colapso mental e físico e se calhar o melhor é mesmo sossegar o espírito. E é exactamente isso que tenciono fazer este fim de semana. Menos sábado entre as 19h e as 22h lá para os lados da Luz!! Aí a adrenalina e o ritmo cardíaco vão subir e não me mandem ter calma por favor senão solto-vos os cães!!
Sou danada, pá...

3 comentários:

Rita disse...

Cada pessoa é um mundo =) Cada um com as suas manias e hábitos. Confesso que gostei da parte em que descobriste em que "és normal comás pessoas". Mas porque não havias de ser??

Eu não sou como tu, pertenço ao grupo dos que precisam de muita rotina: horas para deitar, horas para levantar, e por aí fora.

Mas por vezes, tal como tu entras na rotina em certos aspectos, eu sinto a falta de me libertar dela... Às vezes enerva-me, sim... mas rapidamente descubro que não sei ser de outra maneira.

Em muita coisa "improviso", mas sempre dentro dos meus próprios limites da rotina... e se algo sai dela sinto-me estranha e desastrada...

Mas também... isso sou eu que sou uma pessoa estranha lol.

Beijinhos

Rita

Pips disse...

Rita, não és nada estranha. És "normal comás pessoas" e eu também sou. Cada uma à sua maneira. E neste momento o que melhor me sabe é a tua "normalidade" rotineira! :)

Alegria! disse...

Eu também não gosto de rotinas... sufocam-me. Mas há algumas rotinas que nos sossegam o espírito, apenas na medida certa para continuarmos na busca de outras aventuras, interrogações e surpresas. Há aquelas que vale a pena ter como rotina, as outras, que nos puxam e nos deixam sem ar, deixamos para quem precisa do tal farol!

Beijo no coração*