domingo, 26 de dezembro de 2010

Merry Little Christmas


É já no fim do 25 que percebo que foi Natal.
Passa tão depressa, tenho sempre tanto para fazer, os minutos contados, as tarefas por ordem em lista, as prendas que me consomem o sistema nervoso até à última hora, o bacalhau por demolhar, os doces para buscar, a sala para arrumar, os beijinhos para dar, o portinho para beber... que quando dou conta o 24 já passou e o 25 é passado no sofá, a fingir que vejo tudo quanto é filme, quando na verdade só quero dormir um bocadinho e fugir do frio lá de fora.
Não é um Natal perfeito. Não é aquele que um dia quero para mim. Falta-me muita gente para me sentir feliz e completa. Mas vale pela união e cumplicidade cada vez maior entre mim e os meus irmãos, vale pelos desabafos, pela ajuda que damos uns aos outros, pelos abraços e festinhas no cabelo. Vale pelos sorrisos e gargalhadas, por nos contentarmos com tão pouco, por não nos queixarmos, por não deixarmos de sorrir, por sermos tão pouco exigentes, pelas prendas que cada um comprou, pelos gorros de Pai Natal religiosamente enfiados na cabeça, pela minha Avó que ainda se ri das nossas piadas e nos atura até às tantas, e pelo facto de nos lembrarmos e preocuparmos com quem não se lembra nem preocupa connosco.
E é nesta hora, quando até já estamos a 26, que percebo que passou mais um Natal, e que de perfeito teve muito pouco. Que me dá trabalho, me cansa, e me deixa nostálgica. Que sinto uma saudade diferente nestes dias. Mas ainda assim, e apesar de tudo isso, percebo que aquilo que vivi nos últimos dois dias foi mais Natal do que aquele que se vive em lares perfeitos, com famílias perfeitas, com tudo perfeito.

2 comentários:

Eli disse...

Adoro o Natal por tudo isso e muito mais!

Alegria! disse...

Acho que as famílias "perfeitas" dão menos valor a tudo isso... A saudade é mesmo diferente nestes dias... Acho que isso nunca vai mudar. O importante é essa união minha querida. Beijo*