terça-feira, 31 de maio de 2011

Relativizar



Hoje de manhã passei por um acidente. Um rapaz tinha acabado de ser vítima de atropelamento, em plena passadeira, e estava inconsciente, no chão, com a cara coberta de sangue.

Podia ser eu, podia ser alguém que eu amo. E de repente vejo tudo em perspectiva e percebo o que é realmente importante. Mas ao mesmo tempo sei que não deve ser um exercício só meu...

5 comentários:

Eli disse...

Também já assisti a uma cena dessas e senti-me tão impotente.

su. disse...

compreendo o que sentiste/sentes...lembra-nos que não estamos cá eternamente. incomoda mas faz bem pensar nisso.
xx
su.

Jóh disse...

sim é verdade! incrível o que pudemos aprender com coisas destas! parece que dá um click! temos todos de agradecer cada dia em que pudemos acordar e viver, sentir, amar, sorrir! ***

Rapaz que foi atropelado nesse mesmo dia disse...

Por acaso não viu esse tal rapaz no chão perto do Colégio Militar no mesmo dia que fala de 31 de Maio perto também da BP?

Ritititz disse...

Sim, o atropelamento foi perto do Colégio Militar e das bombas da BP. Eras tu???