quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

É uma questão de sanidade mental



Gostava de ser uma daquelas pessoas que não precisa de dormir muitas horas para passar bem o dia. Ou então uma daquelas pessoas que quando dorme pouco ou mal, depois de tomar um ou dois cafés fica bem disposta, ou pelo menos num estado "normal" de convivência com os outros seres humanos e com o mundo em geral. Mas não sou.
Preciso dormir um consideravel número de horas, todos os dias. E de preferência bem. Sem ficar às voltas na cama a pensar em milhões de coisas, e sem acordar de meia em meia hora para ver que horas são e quanto tempo falta para o despertador tocar. Preciso disso para não acordar com vontade de matar alguém, literalmente. Para não bater com portas de armários e gavetas de cómodas por detestar todas as peças de roupa que tenho, para não demorar o triplo do tempo a fazer o quer que seja, para não responder de forma seca quando me perguntam alguma coisa, para não ficar com umas trombas de meter medo ao susto, para não me irritar profundamente com a forma de andar, de comer, de falar, de rir e de fungar de quem me rodeia, para que não me saia nada pela boca fora que eu simplesmente não consiga controlar e que depois me arrependa profundamente. Para conseguir trabalhar em condições, ter ideias, escrever frases coerentes, divertidas, com conteúdo, e não me limitar a banalidades e encher chouriço.
Por isso não, não é uma questão de ser preguiçosa ou gostar muito de estar na cama. É um bocadinho mais do que isso.

3 comentários:

S. disse...

ahhahah
eu também!
como te percebo...*
S.
A COZY BOX

Miss G. disse...

Eu era assim até começar a trabalhar de noite. E ainda tenho alturas em que durmo 15 horas na boa para recuperar. Mas nos dias normais agora fico-me pelas 4/5h e não me faz falta. Descobri que o que me atormentava era sair do ninho e acordar com as galinhas. Porque dormindo de dia ou mesmo umas poucas horinhas no sofá mal tapada n me custa e consigo recuperar.

Cris ♥ disse...

Sei bem o que isso :/