quarta-feira, 5 de março de 2008

Favourite Mistake

Começa com uns acordes mega melancólicos esta música da Sheryl Crow... Mas tem um título divinal... Não há nada como sermos sinceros connosco. Sabermos que determinada (pseudo) relação/situação nos faz mal, nos consome mas ainda assim gostamos...E assumimos!
Temos consciência que nos faz mal mas gostamos e torna-se o nosso erro preferido. Como aquela coisa de comer que adoramos e que nos cai sempre mal..!
Tenho uma amiga assim... Uma amiga que descobri recentemente, minha colega de trabalho que depressa se tornou amiga daquelas com quem não quero perder o contacto! Ama perdidamente o ex-namorado, mais que se ama a ela, talvez, não lhe faz bem mas penso que até não estar cansada e cheia de azia e úlceras no estômago não vai desistir. Ela sabe... Que lhe faz mal, já lá vai tanto tempo... Que ele não presta e que possivelmente vai voltar à Cindy Nadadora mal a solidão se instale e as saídas com os amigos deixarem de ser novidade. Mas não consegue, tem medo que ele corte para sempre com a pequena esperança que carrega e alenta todos os dias e que não a permite avançar. mas acredita em grandes amores, acredita em grandes químicas e acredita na Cinderella (mais do que na Cindy) e continua... Mas costuma-se dizer que é com os erros que aprendemos e tenho esperança que um dia finalmente o erro já não seja tão favorito assim e que o amor próprio acabe por triunfar! Eu acredito nela, na estrelinha dela!
Já eu... Eu cá, ao que parece, dizem as más línguas, tenho muita segurança, sou muito determinada e muito senhora do meu nariz, que, ao que parece, nos dias de hoje funciona como algo de intimidante... Eu não tenho um favourite mistake... Eu tenho um impasse preferido que não abre mão de mim nem me agarra. Uns dias é tudo e outros dias é nada. Que não sabe lidar pelos vistos com esta nova espécie de ser, a "jovem dinâmica e ambiciosa" que é como um kiwi - áspero por fora doce por dentro. E eu de tão segura e bla bla bla que sou não imponho posição nenhuma, deixo-me ir... Numa situação de impasse que odeio mas que é a minha favorita. Que sei que está mal mas que tb não corto...
"I don't need forever after, but it's your laughter won't let me go
So I'm holding on this waaaaaay"

P.S. I Love You Guits & Izzie & Mom
(tb fui ver o filme...)

3 comentários:

Pips disse...

"Áspero por fora e doce por dentro". Gostei mas não concordo!
1º- Porque a menina é digna e não anda praí áspera por fora que eu bem sei. Pele sempre depilada, cuidada, sedosa e macia.
2º Porque os Kiwis não são doces por dentro, que me fazem aftas terríveis e eu passo horrores das 2 vezes por ano em que tento dar uma trinca num.
3º- Porque ainda que fosse mesmo áspera por fora e doce por dentro, essa é sua maior virtude e que só alguns têm o privilégio de conhecer!
E é jovem, segura, dinâmica e ambiciosa! E eu gosto assim, tem graça!

Clepsydra disse...

Vivemos de paradoxos e emparedados em contradições. Mas acredito que há qualquer coisa de instintivo que nos diz quão urgente pode ser resolver a ambiguidade que nos alimentava. Quando já não nos sacia, quando nos deixa famintos ao invés de nutridos. Aí, algo nos diz que é altura de buscar outra fruta...

Osga disse...

"Porque ainda que fosse mesmo áspera por fora e doce por dentro, essa é sua maior virtude e que só alguns têm o privilégio de conhecer!
E é jovem, segura, dinâmica e ambiciosa! E eu gosto assim, tem graça!"


Tive de fazer Ctrl+C/Ctrl+V.

Gostei da "Alegoria do Kiwi"

:D