segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Dores de crescimento



Lembram-se quando tinhamos 12 ou 13 anos e sentiamos aquelas cãimbras nas pernas, dores nos braços ou nas costas e nos diziam que eram sinal de que estavamos a crescer?
Pois bem, há momentos ao longo da vida em que continuamos a sentir que estamos a crescer e às vezes custa. Custa tomar decicões. Custa resolver problemas. Custa fazer cedências e sacrifícios. Custa mudar. Custa encarar obstáculos e lidar com frustrações. Custa carregar o peso da responsabilidade. Custa perceber que é a sério, que tudo tem consequências, que somos responsáveis pela nossa própria felicidade ou falta dela.
Mas a sensação de que a vida está a andar para a frente, de que evoluimos, de que tudo se encaixa na perfeição, de que dia após dia se constrói um pouco mais, e conseguimos vislumbrar aquilo que sempre sonhamos e lutar por isso é a anestesia para todas as dores que de vez em quando, ao acordar ou ao adormecer, nos invadem o corpo e a alma.

2 comentários:

menina lamparina disse...

:')

No words. É mesmo isso.

Kikas disse...

é isso mesmo, ritititz! está lindamente explicadinho. acho que estou a precisar de uma anestesia, mas sei que ela há-de chegar :) tenho que ser eu a fazer por isso.. se não o fizermos por nós, ninguém fará!