sexta-feira, 2 de maio de 2008

(Not) Guilty

Nada acontece por acaso; Tudo tem uma razão.
Acredito piamente nestes dois "Clichés" que tantas vezes se usam para consolar corações magoados. E a maior parte das vezes não faço a mínima ideia de qual será essa razão tão bem escondida...parece um novelo bem enroladinho, que só depois de encontrada a ponta se vai desenrolando lentamente, os nós desfazem-se, e algures lá pelo meio, ou quem sabe só mesmo na outra ponta, se encontra a tal razão pela qual tudo aconteceu.
Mas também há outras vezes em que a razão é tão simples como: "Aconteceu porque eu deixei que acontecesse!"
Não há mistérios, não há vontade divina que tenha interferido, não é o destino, não é voodoo nem praga que tenham rogado. Há muito que já aprendi que só nos fazem aquilo que nós deixamos que nos façam, e as pessoas só vão até onde nós permitirmos. Por isso mesmo, é muito importante saber assumir responsabilidades pelas escolhas que fazemos, pelos caminhos que tomamos, pelos meios que usamos para atingir certos fins.
É tão fácil culparmos os outros pelas nossas tristezas e angústias. Por estarmos a sofrer, por não nos sentirmos totalmente completos ou preenchidos, pelas frustrações e falhas que não conseguimos resolver.
E a melhor parte é compreender e aceitar isso mesmo. Que não há culpa nem culpados. Não há vilão nem vítima. Ninguém tem a capacidade de controlar tudo o que o rodeia, mas temos sempre a hipótese de escolher até que ponto nos deixamos levar, até que ponto ficamos envolvidos em certa situação que mais tarde causa danos.

1 comentário:

dedo no puré disse...

É fácil gritar, berrar, omitir, mentir, culpar os outros. Digo mesmo que é facil assumir as culpas e até mesmo pedir Perdão!
Difícil é interiorizar e agir contra aquilo que fizemos de errado, de maneira a tentar remediar o feito...
Por isso o lema deveria ser "eu assumo, peço desculpas mas realmente agi mal. A partir de agora vou tentar provar-te que mereço o teu perdão!"