sexta-feira, 25 de abril de 2008

Teste do pézinho

Estou doente... Com uma infecção respiratória que não me permite falar pelos cotovelos como adoro, nem rir não me permitindo sequer estar bem disposta tal é a falta de oxigénio e a febre que tenho.. Já que não posso falar limito-me a pensar e a reflectir nas minha atitudes como ser humano nos últimos dias de passagem pela Terra...
Sabem aqueles erros que não são assim muito graves mas podem ter grande impacto em terceiros? Pois bem eu errei e magoei uma pessoa que não merecia por um erro de cálculo do foro cardiológico... Podia ter evitado mas na altura parecia que a minha pista de aterragem era mesmo aquela e PUF em dois dias tudo ficou ali, tudo foi varrido deixando o terceiro a pensar se eu sofreria de esquizofrenia... Não não sofro mas pura e simplesmente vi que não estava ali a fazer nada, que não me dizia nada e que o melhor era mesmo declarar aterragem de emergência. Assim foi. No meio disto tudo só gostava que calçassem os meus sapatos quando eu calço os das pessoas que magoei. E um dia quando o tempo permitir espero que percebam e que vejam que lá porque alguém erra não nos dá o direito de passar os limites de ofensa. Já dizia Jesus Cristo que "quem nunca errou que atire a primeira pedra".
Quanto a terceiros que magoei e que ainda estão para vir desculpem (mas não façam nada que me faça arrepender de as ter pedido)
E já agora... Quero ficar melhor... Já não suporto respirar como o Darth Vader!

2 comentários:

Anónimo disse...

Amanhã seremos sempre diferentes...
Todos queremos ser melhores, evoluir num único sentido, mas nunca percebemos que essa evolução só é bem conseguida se encararmos a razão.
Encontros e desencontros fazem-nos pensar no que seriamos se tal coincidência não tivesse existido.
O que julgamos ser uma simples coincidência poderá ser uma grande experiência, que provoca uma mutação em nós, para algo...algo que passamos a ser.
Apenas despertamos com o confronto do que desconhecemos e assim se vão revelando os nossos traços...com o confronto do que julgamos não existir em nós!
As melhoras e bons voos nas encruzilhadas do destino..! ;)

Carlota disse...

Na rota chamada vida, há sempre alturas em que a torre nos manda descer ou subir alguns mil pés para evitar colisões... às vezes obedecemos, outras vezes... bum! E nem sempre o fazemos deliberadamente... muitas vezes não obedecemos às instrucções recebidas porque, simplesmente... não falamos o mesmo idioma...

Espero que melhores rápidamente! Vinha no Expresso hoje, que alguns vizinhos já se andam a queixar pela falta da cantoria no duche!!!

Beijos :o)
Carlota